Solidum

Solidum

Notícias

29/08/2018

Solidum abre novos postos de trabalho

Construtora está na contramão de dados de demissões apontados pelo Caged

Apesar de dados divulgados pelo Ministério do Trabalho com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, o Caged, apontarem que Petrópolis perdeu no mês de junho 266 postos de trabalho, além do acumulado do primeiro semestre que apresenta menos 467 vagas formais na cidade, a Construtora Solidum segue por um outro caminho. Nos últimos cinco meses, de abril a agosto, a empresa realizou 63 novas contratações. Sendo 22 para obras em Petrópolis e mais 41 para obras fora da cidade.

Para o diretor/presidente da Construtora Solidum, Osmar Musse Felix, o cenário positivo se justifica por conta do surgimento de novas obras para as quais a empresa foi contratada.

“A Solidum fechou com a Ambev a reativação da fábrica de Cachoeiras de Macacu. Em Petrópolis, fizemos contratações para a obra da Honda, para a instalação do Self Storage na Rua Floriano Peixoto, e ganhamos a concorrência do Ministério Público Estadual para adaptar o prédio da Rua 13 de Maio, que nós construímos, às novas necessidades de layout do órgão. Estamos também com projetos que estão em fase de aprovação para aumentarmos nossas contratações na cidade”, explica Osmar, dizendo que a empresa está com saldo positivo no quesito contratações tendo em vista que está trabalhando forte para fechar negócios.

“A nossa grande dificuldade é aprovar projetos em Petrópolis. Temos muitos investimentos em terrenos na cidade e temos grandes projetos, mas o sistema de aprovação da Prefeitura não está andando, o que complica os planos. Conseguindo as aprovações necessárias, mais de 500 empregos vão surgir na cidade no setor da Construção Civil.”

Osmar acrescenta que a Solidum é uma empresa muito conhecida no mercado por suas obras ágeis e de autodesempenho e, por este motivo, tem um número de obras que a deixa num nível saudável, “mas poderíamos estar navegando num mar muito melhor se tivéssemos a aprovação dos projetos. Temos obras espalhadas pelo Brasil inteiro, mas em Petrópolis temos dificuldades porque não conseguimos as aprovações”, conclui o empresário com foco no futuro.

“Resolvendo isto, vejo o ano que vem como um ano de grande crescimento. Temos pelo menos três grandes projetos para serem aprovados”.


Comentários